Fotos / Divulgação

Evento tem como tema “Viva o futuro do presente” e especialistas vão abordar as principais tendências para o mercado


A 11ª edição da Feira Brasileira do Varejo (FBV), reunirá nomes importantes do setor em apresentações que vão girar em torno do tema central do evento que neste ano é “Viva o futuro do presente”. A feira, que acontece nos dias 22, 23 e 24 de maio, no Centro de Eventos FIERGS, em Porto Alegre, contará com mais de 70 horas de conteúdo, mais de 100 expositores e mais de 120 palestrantes divididos em quatro palcos.


Entre alguns nomes já confirmados para a FBV 2024, estão Amira Ayoub, head de Marketing da LATAM Airlines Brasil, diretora ABA (Associação Brasileira de Anunciantes) e membro do Conselho do Cenp (Fórum da Autorregulação do Mercado Publicitário), que apresentará “Marketing transversal – como o marketing deixou de ser custo e se tornou centro da empresa”. Pedro Sampaio, diretor de Brand Marketing no PicPay, vai falar sobre como criar uma estrutura para crescimento exponencial dos negócios. Camila Fossati, diretora global de desenvolvimento Organizacional da Braskem vai participar do painel “Retenção de talentos e novos formatos de trabalho”.


Divididos por temas, os quatro palcos do evento terão programação simultânea. No “Palco Business”, líderes de grandes marcas vão compartilhar seus cases de sucesso abordando modelos de negócios. No “Marketing e Vendas”, serão mostradas soluções e técnicas avançadas para o dia a dia de quem trabalha no varejo. No espaço “Mão na massa”, conteúdos com foco em ensinar algo prático que o lojista já poderá aplicar no dia seguinte, com foco em inovação, tecnologia, negócios e varejo. Já no palco “Pequenos gigantes”, serão contadas as histórias de marcas pequenas que estão usando a tecnologia para alavancar os negócios e obter sucesso.


“Neste ano vamos reunir alguns dos principais nomes do setor para compartilhar insights, inovações e estratégias que podem impulsionar o varejo nacional. Nossa ideia é mais do que nunca oferecer um espaço de conexão, aprendizado e oportunidades para todos os players do segmento”, afirma Arcione Piva, presidente da FBV e do Sindilojas Porto Alegre.

A expectativa é de que mais de 10 mil pessoas participem desta edição da FBV. Em 2023, 9.600 pessoas acompanharam a programação e mais de R$ 22,3 milhões em negócios foram gerados, o que representou mais que o dobro obtido na edição de 2022.

Sobre a FBV

A Feira Brasileira do Varejo é o maior evento varejista do Brasil. Realizada pelo Sindilojas Porto Alegre, tem como objetivo reunir fornecedores e lojistas em um só espaço, permitindo interação e a formação de novas parcerias e negócios. Entre os expositores, estão empresas com soluções de tecnologia, gestão, segurança, marketing, entre outros serviços e produtos voltados ao varejo.

Serviço:

11ª Feira Brasileira do Varejo
Quando: 22, 23 e 24 de maio de 2024
Onde: Centro de Eventos da Fiergs (Avenida Assis Brasil, 8787, Sarandi – Porto Alegre)
Horário: 10h às 19h
Ingressos: https://feirabrasileiradovarejo.com.br/

Embaixada do Kuwait celebra Dia Nacional 2024


São comemoradas duas datas, o Dia Nacional e o Dia da Libertação.



O Embaixador do Estado do Kuwait no Brasil, Talal Rashed Almansour, celebrou no dia 21 de fevereiro, com um almoço para convidados na capital Federal, as datas do Dia Nacional e Dia da Libertação.


As datas são comemoradas no dia 25 e 26 de fevereiro respectivamente, a primeira comemora a independência do Kuwait desde 1961 e a segunda comemora a libertação do país em 1991 da ocupação durante a segunda Guerra do Golfo.

Na ocasião o Embaixador proferiu um discurso e enfatizou o interesse em cooperar com Brasil em várias áreas.

“Gostaria de enfatizar que acreditamos que existem enormes oportunidades de investimento no Brasil, especialmente na área de energias renováveis, infraestrutura e segurança alimentar, e existe uma séria intenção em promover a cooperação econômica e comercial e aumentar os investimentos kuaitianos no Brasil e se beneficiar das experiências mútuas de ambos os países para alcançar resultados que satisfaçam as aspirações dos dois lados em elevar o nível das relações bilaterais. Nessa perspectiva, o Fundo Kuaitiano para o Desenvolvimento Econômico Árabe e a Autoridade Geral de Investimentos podem desempenhar um papel importante na exploração de oportunidades de investimento existentes e concretizá-las para o benefício de ambas as partes” concluiu Almansour.

Sobre o Kuwait:


País rico em petróleo que representa cerca de metade do produto interno bruto e 94% das exportações do país. O Kuwait possui um dos campos petrolíferos mais ricos do mundo, com cerca de 10% do total das reservas globais de petróleo.

O Fundo Soberano do Kuwait, criado em 1953, é considerado o quarto maior do mundo, com ativos que chegam até 800 bilhões de dólares, estando os seus investimentos repartidos por mais de 125 países em todo o mundo, entre mercados desenvolvidos e emergentes.

A cultura do kuwait é considerada uma extensão da cultura árabe islâmica e é caracterizada pela abertura às culturas vizinhas, seja em termos de arquitetura, música, vestuário, alimentação e estilo de vida.

Relações Brasil- Kuwait



As relações kuaitianas-brasileiras completaram no mês passado cinquenta e seis anos, e durante esses anos os dois países conseguiram estabelecer relações distintas e positivas em todos os campos: político, cultural, esportivo, econômico, entre outros. Essas relações se caracterizam por muitos aspectos em comum nas posições dos dois países, e são regidas pelos princípios da compreensão mútua e pelo respeito das resoluções da ONU e a implementação das recomendações dos organismos internacionais relacionados.

O Kuwait acredita que existem enormes oportunidades de investimento no Brasil, especialmente na área de energias renováveis, infraestrutura e segurança alimentar, e existe uma séria intenção do Governo Kuaitiano em promover a cooperação econômica e comercial e aumentar os investimentos kuaitianos no Brasil e se beneficiar das experiências mútuas de ambos os países para alcançar resultados que satisfaçam as aspirações dos dois lados em elevar o nível das relações bilaterais.









Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social implementa medidas audaciosas para enfrentar a fome em áreas afetadas por crises, enquanto oferece suporte crucial aos líderes locais para solicitar e distribuir cestas básicas.


Num esforço incansável para combater a fome e a insegurança alimentar em regiões atingidas por calamidades, o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS) está liderando uma iniciativa pioneira. O MDS está oferecendo suporte vital aos líderes locais para garantir o acesso a alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade. Por meio da Portaria n.º 898/2023, seguida de ajustes pela Portaria n.º 918/2023, o ministério estabeleceu diretrizes claras para a obtenção e distribuição de cestas básicas em áreas de emergência ou desastre reconhecido oficialmente.


O Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social está empenhado em fornecer assistência imediata às comunidades afetadas por crises alimentares. Para isso, adotou uma abordagem estratégica, enfocando o fornecimento de cestas básicas de alimentos como medida emergencial.

A Portaria n.º 898/2023, seguida por ajustes na Portaria n.º 918/2023, delineou procedimentos precisos para a requisição e distribuição desses alimentos essenciais em regiões sob estado de calamidade pública. É importante ressaltar que essas solicitações complementam, e não substituem, os pedidos de recursos já encaminhados à Defesa Civil Nacional por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres.


Para solicitar as cestas básicas ao MDS, prefeitos e governadores devem seguir um roteiro detalhado. Primeiramente, é necessário que o município ou estado esteja oficialmente reconhecido como em situação de emergência ou calamidade pública. Em seguida, o gestor local deve acessar o sistema online disponibilizado pelo MDS para registrar a solicitação, fornecendo informações precisas sobre o número de famílias afetadas e a gravidade da situação.

Cada cesta básica, pesando 21,5 kg, contém uma seleção criteriosa de alimentos para suprir as necessidades nutricionais básicas das famílias impactadas. A distribuição é feita de forma a garantir que cada família receba uma cesta completa, sendo especialmente direcionada para áreas rurais em situações de seca ou estiagem, onde povos e comunidades tradicionais enfrentam maior vulnerabilidade.


Além disso, o MDS implementou um sistema logístico eficiente para a entrega das cestas, seja diretamente nos municípios afetados ou por meio de centros de distribuição em municípios polos. Essa estratégia não apenas agiliza o processo de assistência, mas também garante que o auxílio chegue às mãos de quem mais precisa de maneira rápida e equitativa.

Em suma, o roteiro estabelecido pelo Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social representa um avanço significativo no compromisso do governo federal com a assistência social e o combate à fome. Essas medidas não só oferecem suporte imediato às comunidades em tempos de crise, mas também reforçam o papel do Estado na proteção e promoção do bem-estar de todos os cidadãos.

BioCaldo lança feijão embalado a vácuo, prometendo mudar o cenário alimentício e sustentável da região.


O Distrito Federal está sendo sacudido por uma revolução alimentar com a chegada do feijão BioCaldo, uma inovação da empresa que promete transformar a maneira como os consumidores enxergam esse grão tradicional. Fruto de mais de uma década de pesquisa, o feijão BioCaldo, embalado a vácuo, está conquistando espaço nos principais estabelecimentos comerciais do DF, simbolizando uma mudança marcante na indústria de alimentos embalados.



O feijão BioCaldo não é apenas um produto nas prateleiras dos supermercados; é uma ruptura com o convencional. Vendido em embalagens a vácuo, esse feijão in natura não só tem sua vida útil estendida, mas também mantém suas propriedades nutritivas intactas, eliminando o desperdício. Essa abordagem inovadora garante que o feijão não escureça, não desidrate e não seja suscetível a caruncho, problemas comuns em grãos armazenados.


Essa não é apenas uma mudança de produto; é uma mudança de mentalidade. Ao optar pelo feijão BioCaldo, os consumidores não apenas escolhem um alimento mais saudável, mas também aderem a um estilo de vida mais sustentável. Com uma vida útil duas vezes maior que a de produtos similares, o feijão BioCaldo não é apenas uma opção alimentar, é um manifesto pela saúde do planeta.

BioCaldo está redefinindo os padrões da indústria alimentar com sua abordagem revolucionária para embalagens a vácuo. Ao transformar um alimento básico como o feijão em um exemplo de inovação, a empresa não só atende às necessidades do mercado, mas também cria um novo padrão para o futuro dos alimentos.

Com o feijão BioCaldo, a BioCaldo não está apenas mudando a forma como vemos o feijão; está redefinindo todo o cenário alimentar do Distrito Federal, um grão de cada vez.

Para experimentar essa revolução culinária, os consumidores podem encontrar os produtos BioCaldo nos principais estabelecimentos comerciais do Distrito Federal. E para aqueles que desejam mais informações ou adquirir os produtos diretamente, a BioCaldo disponibiliza diversas formas de contato, incluindo e-mail, telefone e WhatsApp. Além disso, a empresa convida a todos para conhecerem suas instalações em Samambaia Sul, Brasília.

E-mail: contato@biocaldo.com.br
Telefone: (61) 3334-3336
WhatsApp: (61) 99638-6781

A empresa também convida a todos para conhecer sua indústria localizada em SMSE Conjunto 7 Lotes 1 e 2 - Samambaia Sul - Brasília/DF. O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 7h às 12h e das 13h às 17h, fechado aos sábados e domingos. Com o feijão BioCaldo, a BioCaldo redefine o mercado e estabelece um novo padrão para o futuro dos alimentos.



A 2ª. edição do Projeto Lábios da Lua da Vila Sarrafo oferecerá uma série de atividades culturais para a comunidade do Gama e arredores


Estão abertas as inscrições para as oficinas no Gama de Música e Teatro da 2ª. edição do Projeto Lábios da Lua da Vila Sarrafo. As aulas serão iniciadas em fevereiro (abaixo o cronograma). Essas oficinas abrirão o projeto de manutenção da Cia Lábios da Lua que, além de diversas oficinas, também vai oferecer no Espaço Cultural da Cia. (Quadra 4 Lote 16 Loja C e D - Setor Sul) vivências em artes plásticas, temporadas de atrações variadas (teatro, música, entre outros), vídeo-debate, saraus, colônias de férias, além da organização de núcleos para captação de recursos e administrativos. Todas as atividades contarão com ações socioambientais. Este projeto é realizado com recursos do FAC-DF.  Informações e Inscrições no Instagram @cialabiosdalua

Vila Sarrafo na História do Gama e do DF

O nome do projeto "Vila Sarrafo" faz uma ponte com a história do Setor Sul do Gama, quando em julho de 1964, famílias, possivelmente de trabalhadores que ajudaram a construir Brasília, enfrentando dificuldades de toda ordem, foram transferidos pela Polícia do DF para a região onde hoje se encontra o espaço cultural da Cia. Lábios da Lua. Essas famílias foram chamadas de os  "invasores da Vila Planalto" (como foram denominados na edição  de 23 de julho de 1964 do jornal “Última Hora”). Sem muitos recursos, construíram suas casas  com pedaços de madeira (conhecidos como "sarrafo"- folhas de madeirite sobrepostas e pregadas). O nome-homenagem a essa origem sofrida serve como inspiração para vencer desafios por meio da arte, vencendo estereótipos negativos, mostrando que essa localidade tem presente e futuro promissores e merece acesso à cultura que se espraie pelo Gama e contagie as regiões administrativas ao redor.

Oficinas de Teatro e Música

Teatro - Inscrições: até 29 de janeiro de 2024 (12h)
Início das Aulas: 03 de fevereiro de 2024
Dia e Horário: Sábados, das 10h30 às 12h
Faixa Etária: A partir dos 14 anos
Vagas: Somente 30


Música - Inscrições: até 29 de janeiro de 2024 (12h)
Início das Aulas: 27 de fevereiro de 2024
Dia e Horário: Terças e quintas, às 19h
Faixa Etária: A partir dos 10 anos
Vagas: Somente 30


Atividades

Oficinas de Gestão Cultural, Formação de Núcleo de Captação, Oficinas Teatrais,  Oficina de Música, Artes-Plásticas para a Infância ( quatro semanas de atividades lúdicas de artes plásticas para a primeira infância nas férias de julho), A Vila Encena (atrações da cena atual e artistas emergentes selecionados através de edital), "Sarau Julino da Vila Sarrafo" e "Sarau Natalino da Vila Sarrafo", Cineclube Vila Sarrafo (exibições de filmes produzidos no Distrito Federal, com a presença dos diretores) e Apresentações de Cenas de Peças(talento local com oito sessões de apresentações de cenas de peças do cenário do momento), compõem a programação de atividades que serão desenvolvidas durante o projeto.

Práticas Ambientais

O projeto fará Reciclagem Consciente, mantendo recipientes adequados para separação de lixo orgânico, plástico, metal, vidro e papel, incentivando todos os visitantes a fazerem sua parte na reciclagem. Além disso, ao selecionar grupos e artistas para utilizar o espaço nos chamamentos exclusivos do projeto Vila Sarrafo II, será concedida maior pontuação aos eventos (peças, shows ou exposições) que abordarem a sustentabilidade em suas obras, visando ser uma plataforma para ideias e expressões que promovam a consciência ambiental.

Lábios da Lua

Desde a sua fundação em 25/6/1992 , a Associação Lábios da Lua tem como objetivo o fomento a arte e a cultura, promovendo a cidadania e em sintonia com o meio ambiente, fazendo com que a sociedade tenha acesso à arte, bem como os artistas tenham acesso à sociedade, divulgando todas as formas de manifestações artísticas da região do Gama. O Espaço Cultural Lábios da Lua funciona na Quadra 4, lote 16, do Setor Sul do Gama, desde 10 de fevereiro de 2010.

O evento acontecerá em Nova York, de 13 a 16 de janeiro, e o objetivo é trazer insights para a Feira Brasileira do Varejo 2024


Uma comitiva da Feira Brasileira do Varejo vai participar da 114ª edição da National Retail 
Federation (NRF), a maior feira mundial do varejo, que será realizada de 13 a 16 de janeiro, em Nova York. O objetivo é acompanhar de perto as últimas tendências do varejo e ampliar as referências em inovação, trazendo insights também para a Feira Brasileira do Varejo 2024, evento realizado pelo Sindilojas Porto Alegre, que acontecerá no mês de maio, na capital 
gaúcha.

"Participar da NRF é crucial para profissionais do varejo, pois oferece uma oportunidade ímpar de acesso a insights de líderes de mercado e inovações tecnológicas. Esse evento proporciona um networking valioso, que permite a troca de experiências e parcerias estratégicas. Além disso, possibilita a antecipação de tendências e a adaptação a mudanças no setor, impulsionando a competitividade e o crescimento das empresas participantes", avalia Arcione Piva, presidente do Sindilojas Porto Alegre.

A NRF é conhecida mundialmente por apresentar tendências e inovações no segmento. Para a edição de 2024, a organização está focando em três pilares: Conexões, Inspirações e Experiências. CEOs e líderes do setor subirão aos palcos para compartilhar dados e tendências. Entre eles, estarão o presidente e CEO do Walmart nos EUA, John Furner; o presidente da Levi Strauss & Co., David Kimbell; o CEO da PepsiCo Foods North America, Steven Williams, entre outras personalidades. 

A expectativa é de que 38 mil pessoas de quase 100 países participem da feira, além de mais de 6 mil marcas presentes. 

Insights para o mercado brasileiro 

As referências do evento americano servirão de base para a Feira Brasileira do Varejo, 
marcada para os dias 22, 23 e 24 de maio, no Centro de Eventos da FIERGS, em Porto Alegre. Durante os três dias, os participantes discutirão temas cruciais do setor como varejo digital, gestão de mercado, empreendedorismo no varejo, tendências em moda, o futuro do mercado e o novo perfil do consumidor brasileiro. 

"O evento promete ser um marco para o setor, atraindo as mentes mais brilhantes do varejo 
brasileiro. Os visitantes poderão explorar inovações nas áreas do e-commerce, redes sociais, Inteligência Artificial, Web3 e experiência do consumidor. Certamente serão gerados insights valiosos para aprimorar a competitividade e eficiência no mercado varejista brasileiro", comenta Diana Lienert, head de Marketing e Comunicação do Sindilojas Porto Alegre.

Presidente do Sinfac-RS, Marcio Aguilar - Foto / Divulgação

O evento vai reunir especialistas que vão debater as últimas tendências de mercado, inovação e tecnologia para o fomento comercial


O Sindicato das Sociedades de Fomento Comercial – Factoring do Rio Grande do Sul (Sinfac-RS) promove no dia 01 de dezembro o Summit Service Sinfac-RS 2023, o maior evento do fomento comercial do Brasil. Com cerca de 500 participantes de todo o país e 30 empresas expositoras, o encontro será realizado na sede da Fecomércio-RS, em Porto Alegre, e vai contar com representantes de todas as estruturas operacionais que vão debater as últimas tendências de mercado, inovação e tecnologia para o desenvolvimento mercantil.

No palco principal, especialistas abordarão assuntos como inovação, bancarização, empreendedorismo e perspectivas econômicas. No espaço "Reestruturação Empresarial", o evento vai contar com a participação de desembargadores, juízes, advogados e administradores judiciais que terão como tema a recuperação judicial. Já no espaço "Inovação", representantes de startups e hubs de inovação trarão cases e experiências de mercado. O banco do futuro, inteligência emocional e perspectivas tecnológicas serão temas centrais desse espaço também.

De acordo com o presidente do Sinfac-RS, Marcio Aguilar, "o encontro é uma oportunidade ímpar para os profissionais do setor se conectarem, se atualizarem sobre as últimas tendências no mercado de serviços para o fomento e, principalmente, se prepararem para o crescimento do mercado nos próximos meses. O Summit acontece em um momento em que há uma grande expectativa sobre o futuro da economia brasileira. A redução da taxa de juros Selic está impulsionando o crescimento do setor de fomento", avalia.

Os ingressos podem ser adquiridos no link Summit Service Sinfac-RS 2023. Para associados do Sinfac-RS, serão disponibilizados 2 ingressos gratuitos por empresa.

Serviço:

- Summit Service Sinfac-RS 2023
- Quando: 01 de dezembro, a partir das 13h30
- Onde: Fecomércio-RS (Rua Fecomércio, 101 - Anchieta, Porto Alegre)
- Ingressos: Summit Service Sinfac-RS 2023
- Site oficial com a programação completa: https://www.summitservice.com.br/


Programação:

01 de dezembro

12h30 – Credenciamento

Palco Principal:

13h30 – Abertura

13h45 – Banco do Futuro

Carlos Benitez, CEO na BMP Money Plus

14h30 – Os Fidc's como instrumento para financiamento da pequena e média empresa

Luis Fernando Vasconcellos, diretor da Tercon Asset Consulting

15h15 – Ideias inovadoras e insights transformadores

Gugga Stocco, especialista em negócios digitais e transformação empresarial

16h – Teoria e prática da constatação prévia na recuperação judicial

Daniel Carnio Costa, Juiz da 1ª Vara de Falências de SP

16h45 – Porque não conseguimos decolar? Um país chamado Brasil.

Marcus Duarte Labarthe, comentarista da CNN e Jovem Pan

17h30 – O impacto transformador da IA no mundo dos negócios.

Alex Winetzki - Fundador e CEO da Woopi Stefanini e Diretor de P&D do Grupo Stefanini

18h15 – Empreender não é um ato. É uma jornada

Clóvis Tramontina, diretor do Conselho de Administração da Tramontina.

19h – Sessão de autógrafos

Livro "Paixão, Força e Coragem", de Clóvis Tramontina, com happy hour até às 22:00

 
Palco Reestruturação Empresarial

Painel 1 – Meios extrajudiciais de enfrentamento de crise e análise de casos

Mariana Altomani, Advogada e presidente do CMR- Centro de mulheres na reestruturação empresarial

Roberto Martins, sócio da Tarvos Partners. Presidente da Comissão Especial de Falências e Recuperação Judicial da OAB/RS; Coordenador do Capítulo Sul (Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná) do TMA.

Giovana Farenzena, Juíza Titular da Vara Regional de Direito Empresarial da Comarca de Porto Alegre/RS.

Juliana Biolchi, Mestre em Direito. Sócia da Biolchi Empresarial, CB2D e da B1 Negociação de Crédito. Coordenadora do Observatório Brasileiro de Recuperação Extrajudicial (OBRE).

Conselheira independente.

Guilherme Caprara, Sócio da MSC Advogados. Membro da Comissão Permanente de Recuperação Judicial da Federasul.

Alexandre Neves, Sócio da Neves Advogados. Consultor jurídico dos SINFAC-SP, SINFAC/RS , SINFA/SC e ABRAFESC. E estruturador de securitizadoras, consultor em projetos de estruturação de Instituições Financeiras.

Painel 2 – Recuperação judicial, princípio da preservação de empresas e possíveis desvios de finalidade

Gabriele Chimelo, sócia e diretora da CB2D Serviços Judiciais, da CR Chimelo Ronconi, diretora do CMR - Centro de Mulheres na Reestruturação e diretora do IBAJUD.

José Paulo Japur, sócio da Brizola e Japur Administração Judicial. Membro do TMA e ao IBAJUD

Thiago Diamante, Advogado, mestre e professor de direito empresarial.

Adriana Pugliese, Professora da FGV-Direito-SP e CEULAW School. Advogada, parecerista e árbitra.

José Luis Dias da Silva, Advogado Especialista em Fomento e Securitização Consultor Jurídico da ANFAC e da FEBRAF - Federação Brasileira de Fomento Comercial

Fabiana Balducci, Sócia & Head da Área de Reestruturação, BR Partners.

Painel 3 – A Condução de processos de recuperação judicial por Varas especializadas e os benefícios gerados aos credores

Aline Mendes, Juíza de direito da Vara Regional de Falências e Recuperações Judiciais e Extrajudiciais da comarca de Concórdia.

Ney Wiedmann, Desembargador do TJRS

Eliziana Perez, Desembargadora do TJRS

Niwton Carpes, Desembargador do TJRS

Darlan Élis de Borba e Rocha, Juiz da Vara Regional Empresarial de Caxias do Sul/RS

Eduardo Busanello, Juiz de Direito na Comarca de Santa Rosa/RS, Titular da Vara Regional Empresarial de Santa Rosa/RS e Juiz Coordenador do CEJUSC de Santa Rosa desde 2014.

Joice Ruiz, Advogada, Administradora judicial, Professora e coordenadora do curso Administrador Judicial do TMA Brasil.

Contato com a imprensa:

@azpressbrasil
Aline Zanchi aline@azpress.com.br  / (51)98141-2005
Bernardo Biavaschi bernardo@azpress.com.br / (21) 99479-1617

53 anos do renascimento do Sultanato de Omã celebrado em Brasília


O Embaixador Talal Al Rahbi celebrou, no dia 20 de novembro, os 53 anos do renascimento do Sultanato de Omã .

O evento contou com a presença de autoridades do governo brasileiro, diplomatas, empresários, jornalistas e amigos. Em seu discurso Al Rahbi falou das relações bilaterais com o Brasil, do crescimento acelerado do Sultanato devido aos novos projetos liderados pelo Sultão Haitham bin Tarik que trouxe novas perspectivas e planos de um futuro promissor ao povo do sultanato.

O embaixador Clélio Cripa, chefe do departamento do Oriente Médio do Itamaraty, discursou e enfatizou sobre o forte relacionamento entre Brasil e o Sultanato de Omã.

Alrahbi ressaltou que a comemoração de seu Dia Nacional é uma oportunidade de “refletir sobre o passado, abraçar o presente e buscar inspiração para o futuro”.

Ele manifestou solidariedade ao povo palestino e condenou as ações militares de Israel na Faixa de Gaza. O diplomata defendeu ainda a criação de um estado palestino independente, “dentro das fronteiras de 4 de junho de. 1967, com Jerusalém Oriental como sua capital, baseado no direito internacional e nas resoluções relevantes das Nações Unidas, e na solução de dois estados conforme proposto pela Iniciativa de Paz Árabe”.

Relações bilaterais com o Brasil

Ao analisar as relações de Omã com Brasil, enfatizou que elas “estão em constante desenvolvimento”, com o estabelecimento de diversos acordos e memorandos de entendimento entre os dois países em várias áreas.

“Atualmente, estão em andamento os trabalhos para a formulação final de vários projetos de investimento entre os dois países, os quais são esperados ser anunciados em breve”, reforçou Alrahbi.

Citando número do comércio exterior, lembrou que, no ano passado, o saldo comercial ultrapassou US$ 2,2 bilhões (cerca de R$ 11 bilhões). As principais exportações de Omã para o Brasil incluem fertilizantes, especialmente ureia, ferro, peixes congelados e plásticos poliméricos.

Abordou ainda as oportunidades para companhias brasileiras investirem em Omã em setores como energia renovável e agricultura. O Brasil investiu no Sultanato, por exemplo, com uma fábrica da Vale no porto de Sohar.

Economia forte e “futuro verde”

Outro aspecto destacado pelo embaixador foi a “Visão Omã 2040”, elaborada para servir como um guia e referência fundamental para o planejamento estatal, focado na população, no desenvolvimento econômico, no desempenho institucional e na sustentabilidade.

O Sultanato de Omã adotou uma estratégia nacional para neutralidade de carbono zero e transição energética. O país quer assumir uma posição de destaque entre os países produtores de hidrogênio verde no mundo, com base na disponibilidade dos principais componentes de sua produção, incluindo energia solar, energia eólica, extensas áreas de terra e recursos humanos.

Em Omã, o evento foi celebrado no último sábado, 18 de novembro de 2023, marcando conquistas alcançadas em todos os aspectos sob a sábia liderança de Sua Majestade o Sultão Haitham bin Tarik.

O discurso real de Sua Majestade, o Sultão, na abertura da primeira sessão anual do 8º mandato do Conselho de Omã trouxe uma abordagem que fortalece esforços feitos por diversas instituições do Estado.

O Sultanato considera que o Conselho de Omã e a sua integração com as instituições do Estado são os principais fatores para a implementação de temas que visam alcançar realizações em benefício dos cidadãos.

O interesse real no avanço desta pátria e do seu honrado povo foi demonstrado através de muitas conquistas, uma delas é promulgação da Lei de Proteção Social, que garante a implementação da visão e política de Omã na cobertura de seguro adequada para vários segmentos da sociedade. Sua Majestade, o Sultão, manifestou esse projeto durante o seu discurso real na abertura da primeira sessão anual do 8º mandato do Conselho de Omã, ao dizer “Prevemos que o Sistema de Proteção Social, recentemente introduzido, será abrangente, estendendo seus benefícios a todos os segmentos da sociedade, garantindo assim uma vida digna para todos”.

Entre outras funções, o Fundo de Proteção Social abrange uma série de programas, que serão implementados em janeiro de 2024. A maioria destes programas não exige investigação social, como o endosso de prestações pecuniárias para idosos, crianças, pessoas com deficiência, órfãos e viúvas.

A Lei de Proteção Social alcança o bem-estar do povo de Omã de acordo com as disposições da Lei Básica do Estado e os objetivos da Visão de Omã 2040 que aborda os aspectos sociais.

Desde o início do seu abençoado renascimento, o Sultanato de Omã tem defendido a visão de que a educação é a base que assegura e fortalece o presente e o futuro das nações. Portanto, Omã atribuiu extrema importância à educação para que seu povo possa, aproveitar os seus benefícios e colher os seus frutos.

Omã prosseguiu com o reforço da educação, introduzindo os mais recentes instrumentos e métodos para expandir o alcance de objetivos concretos. A Visão 2040 de Omã dá prioridade à “educação, aprendizagem, investigação acadêmica e investimento no cidadão. Baseando-se contexto do primeiro tema da visão intitulado “Homem e Sociedade”, Omã embarcou na implementação de uma educação abrangente, aprendizagem sustentável e investigação académica que conduza à evolução de uma sociedade baseada no conhecimento e de recursos humanos nacionais competitivos.

A filosofia Real acredita no fato de que as instituições educativas, de investigação e centros culturais a todos os níveis constituem a base do avanço científico e intelectual da sociedade e atuam como motores da nossa progressão tecnológica e industrial.

Omã também atribui grande importância à contratação de recursos humanos nacionais, formando-os e aperfeiçoando as suas competências para que possam entrar no mercado de trabalho e explorar o ambiente de negócios. Esta atenção reflete-se em legislações e leis, incluindo a Lei do trabalho, que proporciona um clima de negócios seguro ao definir direitos e deveres e estabilizar a relação entre as partes da produção.

Enquanto presidiu ao Conselho de Ministros em janeiro de 2023, Sua Majestade o Sultão instou as autoridades competentes a tomarem as medidas necessárias para estabelecer um ambiente adequado que incentive os cidadãos a realizar todos os tipos de trabalho. Ele enfatizou a importância de educar os jovens sobre a cultura global de trabalho e o empreendedorismo.

Omã também deu prioridade ao desenvolvimento sustentável nas províncias e cidades, considerados pilares da Visão de Omã 2040. A abordagem é baseada no desenvolvimento da administração e sua descentralização que resultou na emissão do Sistema de governo e da Lei dos Conselhos Municipais, com o objetivo de capacitar o povo de Omã em cada província e capacitá-lo a contribuir para o processo de construção da nação.

A economia do Sultanato de Omã teve um crescimento dos preços fixos de 2,1% durante o primeiro semestre de 2023. Omã conseguiu até ao primeiro semestre de 2023 reduzir a dívida pública para 16,3 bilhões, graças à racionalização e ao aumento da eficiência dos gastos, bem como o aumento das receitas públicas em resultado da subida dos preços do petróleo. Foi também atribuído às medidas financeiras tomadas para aumentar as receitas não petrolíferas, para além da gestão da carteira de empréstimos através da recompra de algumas obrigações soberanas por menos do que o seu valor de emissão, do reembolso de empréstimos de alto custo e da sua substituição por empréstimos mais baixos, e da emissão de empréstimos locais títulos para negociação na Bolsa de Valores de Mascate (MSX) a um custo relativamente baixo.

A contribuição do setor do turismo para o PIB atingiu 1,070 milhões de RO em 2022. Espera-se que atinja 2,75% durante os próximos dois anos, em comparação com 2,4% no final do ano passado (2022).

O investimento direto estrangeiro (IDE) registrou um aumento de 23,3 por cento no final do primeiro trimestre de 2023, e em 21,27 bilhões de RO.

Omã esforça-se para atrair investimentos para projetos em vários domínios, incluindo energias renováveis e hidrogénio limpo, e terras públicas foram destinadas para este fim. Sendo assim foram assinados dois acordos no passado mês de junho de 2023, com um valor de investimento de aproximadamente 10 milhões de dólares, para desenvolver dois novos projetos de produção de hidrogénio verde na província de Al Wusta, uma vez que a produção total prevista atingirá 250 quilotons métricos de hidrogénio verde, equivalente a 6,5 gigawatts de capacidade de energia renovável.

No mesmo contexto, Sua Excelência Sayyid Theyazin bin Haitham Al Said, Ministro da Cultura e Desporto eJ uventude, reuniu-se com alguns CEOs de empresas globais que participaram no Fórum Económico Duqm no mês passado (outubro de 2023). Durante a reunião,

Sua Alteza Sayyid Theyazin destacou as oportunidades de investimento disponíveis nas áreas de energia renovável e energia limpa, como o hidrogénio verde e o amoníaco verde. Estes sectores estão alinhados com a abordagem de Omã rumo à neutralidade de zero carbono até 2050. A reunião também destacou os incentivos oferecidos aos investidores e ao ambiente de investimento em Omã.

A pedido de Sua Majestade o Sultão, um fundo denominado “Oman Future Fund” foi lançado em maio de 2023 com um capital de RO 2 bilhões.

O fundo visa reforçar a atividade económica e incentivar o setor privado a estabelecer parcerias ou financiar projetos de investimento viáveis nos sectores de diversificação económica visados pela Visão 2040 de Omã.

O Sultanato de Omã dá prioridade à economia digital para contribuir para a economia nacional. Para o efeito, Sua Majestade o Sultão deu instruções a este respeito para conceber um programa nacional para implementar e localizar tecnologias de inteligência artificial (IA) e para acelerar a elaboração de legislação para posicionar estas tecnologias como facilitadores e catalisadores básicos para estes setores.

O Sultanato de Omã procura maximizar os benefícios da sua localização geográfica através das zonas económicas especiais e das zonas francas. Também se esforça para utilizar as rotas de transporte marítimo para ligar os mercados do CCG, Europa, Ásia e África. Para este efeito, Omã estabeleceu a Cidade Económica de Khazaen, que inclui duas zonas francas na província de South Al Batinah. A cidade conseguiu atrair investimentos locais e estrangeiros no valor de RO 300 milhões.

A Cidade Económica de Khazaen e o resto das zonas económicas e zonas francas em Sohar, Duqm, Salalah e Al Mazunah são reguladas por legislações e sistemas que incentivam o investimento e oferecem impostos baixos e infraestruturas avançadas.

Esta mobilidade econômica no Sultanato de Omã e os subsequentes resultados positivos na melhoria dos indicadores financeiros e económicos e na redução dandívida pública do estado fez com que as instituições de classificação de crédito aumentassem e modificassem as suas perspectivas de crédito para Omã. A Standard & Poor’s elevou a classificação de crédito de Omã para “BB+” com uma perspectiva futura estável, a Fitch elevou a classificação de crédito de Omã para “BB+” com uma perspectiva estável em setembro passado, e a Moody’s elevou a classificação de crédito de Omã para o nível de “Ba2”, mantendo uma perspectiva positiva.

O Sultanato de Omã registou progressos em vários indicadores globais, ao ocupar o 56º lugar a nível mundial e o 5º no mundo árabe no Relatório de Desempenho Competitivo Industrial para 2023, emitido pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO). Omã também avançou 10 posições no Índice Global de Inovação para 2023, obtendo a 69ª posição global, entre 132 países.

Entretanto, a política externa do Sultanato de Omã, sob a liderança de Sua Majestade o Sultão Haitham bin Tarik, continua a fornecer um modelo global, baseado no respeito mútuo, nos interesses e benefícios comuns, na não interferência nos assuntos internos dos países, respeito pelas convenções e leis internacionais e defesa dos princípios da paz, da humanidade, do diálogo e da tolerância. Neste contexto, Sua Majestade o Sultão disse: “Reafirmamos os nossos firmes princípios políticos, solidamente ancorados nos princípios da boa vizinhança e da não interferência nos assuntos internos de outras nações soberanas. A nossa posição está ainda enraizada numa crença inabalável no estabelecimento de um sistema justo e equitativo para benefício mútuo e troca de interesses, destinado a estabelecer bases sólidas para a estabilidade e a paz, e a dar uma contribuição positiva para estes nobres objetivos”.

Portanto, estes princípios e valores adotados pelo Sultanato de Omã na sua política externa tornaram-no numa fonte de confiança e apreço para as unidades e organizações internacionais desempenharem papéis ativos e alcançarem a segurança, a paz e a estabilidade numa série de questões regionais e internacionais. Estes princípios e valores sublinham que a abordagem da paz e da cooperação é o único caminho e o modelo ideal mais seguro para a região e para o mundo em geral.

Ao nível das relações bilaterais, Sua Majestade o Sultão manteve conversações durante o corrente ano (2023) com líderes de países árabes e estrangeiros através de visitas mútuas e telefonemas, incluindo com os presidentes da América, Rússia e Síria. Além disso, Sua Majestade visitou vários países, incluindo os Emirados Árabes Unidos, a República Árabe do Egito e a República Islâmica do Iran. Estas visitas tiveram como objetivo promover áreas de cooperação bilateral e trocar opiniões sobre um conjunto de questões regionais e internacionais de interesse comum.

O Sultanato de Omã reagiu a uma série de acontecimentos na região, incluindo a agressão israelita contra Gaza e a violação dos direitos dos palestinos. A este respeito, o Monarca do país afirmou a solidariedade do Sultanato de Omã com o povo irmão palestino e apoiou todos os esforços que apelam à cessação da escalada e dos ataques a crianças e civis inocentes e à libertação de prisioneiros de acordo com os princípios do direito humanitário internacional.

Sua Majestade o Sultão também instou a comunidade internacional a cumprir as suas responsabilidades de proteger os civis, garantir as suas necessidades humanitárias, levantar o cerco ilegal a Gaza e ao resto dos territórios palestinos e retomar o processo de paz para permitir ao povo palestino recuperar todos os seus direitos legítimos. Estabelecendo o seu Estado independente nas fronteiras de 1967 com (Al Quds A’Sharqiyah) Jerusalém Oriental como sua capital, em conformidade com o princípio da solução de dois Estados, a Iniciativa de Paz Árabe e todas as resoluções internacionais relevantes.

Durante a sua audiência com os ministros dos Negócios Estrangeiros do CCG e com o Secretário-Geral do CCG, Sua Majestade também sublinhou a necessidade de intensificar os esforços regionais e internacionais para parar a escalada e a violência e fornecer proteção aos civis.

O Sultanato de Omã está a reunir esforços com o CCG e os países árabes e islâmicos para alcançar o cessar-fogo em Gaza e travar o ataque injustificado e desumano à Faixa de Gaza. Durante a reunião do Conselho Ministerial do CCG em Mascate, os países do CCG prestaram apoio imediato no valor de 100 milhões de dólares para ajuda humanitária e de ajuda humanitária e sublinharam a necessidade de garantir urgentemente a entrega desta ajuda à Faixa de Gaza.

O renascimento de Omã, sob a liderança de Sua Majestade o Sultão e os esforços do seu nobre povo, está a avançar para alcançar os objetivos de desenvolvimento e concretizar as aspirações, para que o seu povo desfrutem de um futuro mais próspero.

Galeria de Fotos


Foto Divulgação | Fotógrafo Vinícius Santa Rosa

Foto Divulgação | Fotógrafo Vinícius Santa Rosa

Foto Divulgação | Fotógrafo Vinícius Santa Rosa

Foto Divulgação | Fotógrafo Vinícius Santa Rosa

Foto Divulgação | Fotógrafo Vinícius Santa Rosa

Foto Divulgação | Fotógrafo Vinícius Santa Rosa

Foto Divulgação | Fotógrafo Vinícius Santa Rosa

Foto Divulgação | Fotógrafo Vinícius Santa Rosa

Foto Divulgação | Fotógrafo Vinícius Santa Rosa

Foto Divulgação | Fotógrafo Vinícius Santa Rosa

Foto Divulgação | Fotógrafo Vinícius Santa Rosa

Dr. André Berger
Dr. André Berger - Foto / Divulgação

Esse é o segundo tipo de câncer mais incidente na população masculina e o segundo que mais mata. Especialista explica fatores de risco e como prevenir


De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de próstata é o segundo tipo mais incidente entre os homens em todas as regiões do país, atrás apenas dos tumores de pele não melanoma. No Brasil, estimam-se 71.730 novos casos de câncer de próstata por ano para o triênio 2023-2025. Atualmente, é a segunda causa de óbito por câncer na população masculina. Na tentativa de reverter esses números, todos os anos a campanha Novembro Azul busca alertar para a necessidade dos exames preventivos.

Segundo o médico André Berger, urologista especialista em cirurgia robótica para o tratamento de doenças benignas e cânceres geniturinários, a idade e o histórico familiar são os principais fatores de risco para o câncer de próstata. "A maior parte dos casos ocorrerem a partir dos 60 anos. E o histórico familiar segue sendo o fator para estarmos mais atentos. Se o paciente tiver um parente de primeiro grau que apresentou a doença, o risco aumenta exponencialmente. Mas questões como a obesidade ou a alimentação com embutidos estão sendo estudadas como possíveis fatores de risco também", revela.

O especialista explica que a maioria dos cânceres de próstata precoces não apresentam sintomas. Porém, destaca a importância de estar atento aos sinais de alerta, que podem indicar alterações benignas ou malignas na próstata. "É preciso ficar de olho em alterações no fluxo urinário, como diminuição e início tardio do jato, bem como a micção excessiva à noite. Também a ocorrência de dor ao urinar ou ao ejacular. Dor lombar também pode ser um sintoma associado. Em casos mais avançados, é possível o aparecimento de sangue na urina, dor abdominal, anemia, perda de peso involuntária e fadiga", relata. 

Como prevenção, André Berger destaca a importância da manutenção do peso corporal, além da adoção de hábitos saudáveis, como prática de atividade física e alimentação balanceada. O médico aponta também a importância de fazer todos os exames regularmente, inclusive o de toque retal, que ainda enfrenta preconceitos. "O exame de PSA (Antígeno Prostático Específico) não basta para diagnosticar o tumor, pois em 18% dos casos os níveis aparecem como normais. Por isso, é preciso também passar pelo exame de toque retal. E a resistência da população masculina em realizar esse exame não é só no Brasil. Nos Estados Unidos acontece também, é uma coisa cultural. Mas as campanhas de informação têm ajudado a mostrar a importância do exame, porque nosso trabalho busca prevenir e diagnosticar antes que a doença já esteja avançada", afirma.

Sobre o Dr. André Berger

André Berger é Urologista, Cirurgião Robótico e Professor. Com mais de 5000 procedimentos robóticos realizados, é considerado um dos profissionais mais experientes da área no Brasil. É especialista em cirurgia robótica para o tratamento de doenças benignas e cânceres geniturinários localizados na próstata, no rim e na bexiga. É coordenador do Núcleo de Robótica do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre. Também é Coordenador Nacional de Urologia do Grupo Oncoclínicas e Professor Adjuntos no Departamento de Urologia da University of Southern California (USC), em Los Angeles. Nos últimos anos, o especialista também contribuiu no desenvolvimento de programas robóticos em dezenas de hospitais no Brasil e no exterior. Com mais de 60 estudos científicos publicados e apresentados em jornais e congressos nacionais e internacionais, o médico é constantemente convidado como professor visitante para realizar cirurgias demonstrativas, palestras, cursos e treinamentos. Para mais informações: https://drandreberger.com/

Nova Lata Dado Bier

Repaginada, a nova embalagem da cerveja Lager Leve começa a chegar às gôndolas neste mês

A Dado Bier, primeira cervejaria artesanal do Brasil, anuncia o lançamento da nova lata da cerveja Lager Leve. Com um design mais jovem e minimalista, o conceito reafirma o orgulho das origens gaúchas da marca nascida há 28 anos em Porto Alegre. A nova lata é a protagonista da campanha cujo slogan é "contra dado, não há argumento". Essa campanha traz a questão das origens da marca, da relação com o Rio Grande do Sul, e ao mesmo tempo mostra uma visão de futuro para criar novas histórias.

Segundo Eduardo Bier, fundador e CEO da cervejaria, "a nova embalagem traz o conceito mais claro da nossa origem e firma mais o nosso posicionamento como uma marca gaúcha. Nos orgulhamos pelo pioneirismo da cerveja especial no Brasil e também pelo nosso empenho em sempre trazer novidades e celebrar as nossas raízes", afirma.

A nova lata da Lager Leve, nos tamanhos latão de 473 ml, 350 ml sleek, 350 ml, está disponível em redes de supermercados e lojas de conveniência de todo Rio Grande do Sul.

Sobre a Dado Bier

A indústria Dado Bier é uma marca de cervejaria artesanal brasileira que conseguiu vencer a barreira de mercado das grandes companhias, com 28 anos de atuação e está presente nos estados do Rio Grande Sul, Santa Catarina, Paraná e Espírito Santo. Com produção de 15 milhões de litros por ano ela continua independente e genuína.

dra.Karolyn Sassi Ogliari
Médica e cientista Karolyn Sassi Ogliari, pós-doutora em Biologia Regenerativa e Células-Tronco - foto Felipe Gaiesky

A técnica, autorizada pelo Conselho Federal de Medicina no Brasil somente no final de 2021, começa a ganhar visibilidade no país


Autorizada somente em outubro de 2021, a utilização da membrana amniótica de recém nascidos para tratamentos clínicos começa a ganhar visibilidade e representa mais um avanço em prol das milhares de vítimas de queimaduras que ocorrem no Brasil todos os anos. De acordo com médica e cientista Karolyn Sassi Ogliari, pós-doutora em Biologia Regenerativa e Células-Tronco, estudos mostram que essa membrana pode atuar como um curativo biológico, pois apresenta células e outros componentes proteicos com potencial para proteger a ferida, acelerar a cicatrização e aliviar a dor.

"Essa técnica já é utilizado em muitos países da América Latina, América do Norte e Europa como curativo para queimaduras superficiais e profundas, tratamento de úlceras varicosas e em feridas causadas por diabetes, além de cirurgias oftalmológicas", explica Karolyn, que também é diretora do Hemocord, empresa de biotecnologia voltada para armazenamento de produtos de terapia celular para a Medicina Regenerativa, e única no Brasil onde pode ser contratado o serviço de coleta da membrana amniótica para fins terapêuticos.

A membrana amniótica é o tecido que compõe a parte mais interna do envoltório fetal e que sai junto com a placenta durante o nascimento do bebê, podendo ser coletada nesse momento. A placenta é levada então ao laboratório e lá processada para separação da membrana. Karolyn explica que esse material se trata de um curativo biológico pela riqueza em fatores de crescimento e citocinas que comprovadamente promovem a cicatrização de feridas.

"Ensaios clínicos para tratar queimaduras na pele e alterações na córnea mostram que as células-tronco da membrana amniótica aceleram a recuperação por meio da inibição da inflamação e da liberação de fatores de crescimento. As células-tronco mesenquimais amnióticas humanas tem funções de regulação imunológica, anti-inflamatória e regeneração de vasos. Por apresentar essas propriedades, a membrana tem múltiplos usos em diversas áreas da medicina", explica. "A maioria das terapias com este material biológico está direcionada ao tratamento de queimaduras graves, enfermidades oftalmológicas e cicatrização de feridas", explica.

Recentemente, o uso da membrana amniótica salvou a visão de um recém-nascido no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie (HUEM), em Curitiba. O pequeno Anthony Amaral havia nascido com uma má formação nos olhos – ambos não abriam após o nascimento. O procedimento, realizado pelo SUS, aconteceu no final de fevereiro de 2023 e foi um sucesso.

Protocolo patenteado

Karolyn explica que o Hemocord é a única empresa no Brasil onde a população pode contratar o serviço de coleta e armazenamento da membrana amniótica. De a cordo com a especialista, o protocolo patenteado pela empresa preserva as células vivas, que são biologicamente ativas. "Alguns meios de processamento não preservam as células, só a matriz celular. Desenvolvemos um protocolo que mantém as células vivas e produzindo essas moléculas que atuam na regeneração dos tecidos. O 'curativo' permanece biologicamente ativo e com uma produção maior desses componentes", explica.

A especialista explica ainda que, diferentemente do SUS, que armazena as amostras em freezer -80º, o Hemocord criopreserva em Nitrogênio, o que garante a manutenção do material pela vida toda. "No freezer a -80º, a preservação é por um tempo limitado, em torno de dois anos. No nitrogênio é por tempo indeterminado. E como não causa rejeição, pode ser usado pela própria criança ao longo da vida ou por algum familiar que precisar", comenta.

O desenvolvimento do protocolo do Hemocord foi publicado pela Biomedical Materials (2023) e apresentado no Simpósio Internacional Cord Blood Connect de 2022, em Miami.

Sobre o Hemocord

Com mais de 18 anos de atuação no mercado, o Hemocord é uma empresa de Biotecnologia voltada para a Terapia Celular e Medicina Regenerativa. Foi o primeiro Banco de Sangue de Cordão Umbilical com laboratório de Criopreservação no sul do país e único no Rio Grande do Sul. Evoluiu também para ser um Banco de Tecidos e um Banco de Células e Tecidos Germinativos, sendo a única empresa do país com licenças para crio preservar qualquer tecido humano. Está localizado em São Leopoldo, dentro do Tecnosinos - um dos maiores polos de ciência e tecnologia do Brasil. É lá que a empresa possui o seu Centro de Processamento Celular e de Criopreservação, onde os principais avanços e produtos de Terapia Celular são desenvolvidos por uma equipe altamente qualificada. São profissionais especializados em Obstetrícia, Reprodução Humana, Biologia Celular, Biologia Molecular e Criobiologia, buscando deixar as famílias preparadas para o melhor da medicina mundial.



De autoria do ex-deputado Jerônimo Goergen (RS), o projeto visa simplificar processos de licenciamento e promover a competitividade de negócios de médio risco

A Comissão de Desenvolvimento Econômico da Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que inclui as atividades econômicas de médio risco na Lei da Liberdade Econômica. De autoria do ex-deputado Jerônimo Goergen (RS), sócio do Andrade Maia Advogados, o Projeto de Lei 6099/19 tramita em caráter conclusivo, e ainda vai passar pelas comissões de Indústria, Comércio e Serviços; e Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). Tem como objetivo incluir as atividades econômicas de médio risco na Lei da Liberdade Econômica, dispensando-as de atos de liberação, como vistorias prévias. Essa regra já está em vigor para as atividades de baixo risco.

“A ampliação para as empresas de médio risco abrange cerca de 90% do empreendedorismo brasileiro, com simplificação, oportunidade de crescimento e geração de empregos”, avalia Jerônimo Goergen. “As leis municipais e estaduais já estão contemplando essa medida, inclusive desde a primeira lei, que foi a do município de Esteio, a primeira lei municipal do Brasil em que isso já aparecia. Na votação, foi derrubado do meu relatório e eu transformei em projeto de lei. E agora, com esse passo importantíssimo, nós poderemos em breve ter a Lei da Liberdade Nacional, contemplando a grande maioria dos empresários e empreendedores no Brasil”, afirma.

A Lei da Liberdade Econômica, que busca promover a livre iniciativa e o livre exercício de atividades econômicas, adotando medidas para desburocratizar e tornar o mercado competitivo. A classificação das atividades econômicas em baixo, médio e alto risco é definida por meio de resolução governamental, levando em consideração aspectos como prevenção contra incêndio, segurança sanitária e ambiental.

 

Sobre Jerônimo Goergen

Sócio do Andrade Maia Advogados, responsável pelas relações institucionais e agronegócio. Conhecido pela forte atuação no Agronegócio, Transporte, Infraestrutura e na defesa do setor produtivo nacional, Jerônimo foi relator de leis como a de Liberdade Econômica, Documento de Transporte Eletrônico (DT-E), Desoneração da Folha de Pagamentos, Livro de Conhecimento e Cumprimento de Sentença de Novo Código de Processo Civil (CPC). Também é conselheiro no Conselho Nacional do Brasil Export - Fórum Nacional de Logística e Infraestrutura Portuária - e no Conselho Superior do Agronegócio (COSAG), da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). Além disso, é presidente da Associação de Cerealistas do Brasil e do Instituto Liberdade Econômica (ILE).

Sobre o Andrade Maia

O Andrade Maia Advogados é um escritório de advocacia empresarial com foco nas áreas tributária, cível, societária e trabalhista. Com atuação em todo território nacional, conta com mais de 400 integrantes, 55 sócios, distribuídos em quatro sedes: São Paulo, Porto Alegre, Brasília e Salvador.

As herdeiras do Mestre Zezito
As herdeiras do Mestre Zezito - Foto / Divulgação

O Projeto Herdeiras do Mestre leva oficinas e espetáculos circenses com as filhas e a esposa do saudoso Mestre Zezito


"O palhaço é a única criatura no mundo que ri de sua própria derrota e ao agir assim estanca o curso da violência. Os palhaços ampliam o riso da Terra". Essas palavras do saudoso artista da cultura popular, José André dos Santos, o Mestre Zezito, inspiraram a viúva Neide de Nazaré e as filhas, Rita de Cássia, Maria de Nazaré e Isabel a criarem o projeto Herdeiras do Mestre que nesta quinta (28), às 8h30, na Associação Maria de Nazaré (QR 404 - Samambaia Sul) inicia a circulação em Samambaia do espetáculo circense da Família Zezito.

Ainda na quinta-feira, a Escola Classe (EC) 512, às 11h e às 13h30, seguida do Centro de Referência de Defesa da Vida Santos Inocentes (QN 433 Conjunto B Lotes 1/3 - Samambaia Norte), às 16h, também receberão apresentações do espetáculo circense da Família Zezito.  As últimas apresentações da circulação serão na terça-feira (03/10), na EC 325 (Samambaia Sul) às 11h e às 13h30. Tudo gratuito. Este projeto é patrocinado pelo FAC-DF.

Oficina de construção de brinquedos populares na Escola Classe 325, de Samambaia Sul
Oficina de construção de brinquedos populares na Escola Classe 325, de Samambaia Sul - Foto / Divulgação

A proponente e diretora artística do projeto, Neide de Nazaré, fala que é sempre uma experiência marcante poder circular com o espetáculo circense da Família Zezito por espaços culturais e escolas da cidade, fazendo com que o público tenha acesso a história do circo em Brasília e seja contemplado com atividades circenses de qualidade.

"Priorizamos alunos da rede pública de ensino, de todas as idades, prioritariamente de baixa renda e pouco acesso à cultura", disse a diretora artística.

A proponente também explicou que além das seis apresentações também realizou oficinas muito interativas. 


Brinquedo popular fabricado por aluno do projeto na EC 325 - Foto / Divulgação

"Também oferecemos em junho, de 20 a 23 junho, na EC 325,  duas oficinas de construção de brinquedos populares e duas oficinas de perna de pau. Foi maravilhoso fazer os meninos largarem os celulares e terem experiências reais, colocando as mãos e as pernas (risos) para funcionar. Não têm preço o brilho nos olhos de cada um deles!", revelou Neide.

Boneco e Riso

A Companhia Circo Boneco e Riso foi criada em 1968 na cidade de Juazeiro do Norte (CE) por José André dos Santos - imortalizado pelo apelido de "Mestre Zezito" - que, em 1991, transferiu-se para o Distrito Federal, com sua companheira Rosineide Amorim.  Em 1994, os integrantes do grupo começam a desenvolver oficinas de confecção de brinquedos populares, oficinas de perna de pau, Mestre Zezito tornou-se o palhaço Pilombeta, criativo, encantador de crianças e adultos com números espetaculares de perna-de-pau, trapézio, equilíbrio, entre outros.

Ainda no Circo começou a brincar com teatro de bonecos (mamulengo), bonecos gigantes, cantigas de palhaço, sempre ensinando jovens das periferias, das ruas, de grupos diversos. Foi nesse meio que conheceu Rosineide de Nazaré, que se tornou sua esposa e com quem teve três filhas: Rita de Cássia, Maria e Isabel que completam o grupo nos trabalhos de oficina de brinquedos populares, oficinas teatrais e outros. Mestre Zezito faleceu em 4 de maio de 2006. As quatro continuaram o trabalho do mestre, com a escola de brinquedos e circo e se apresentando inclusive com números novos.

A Companhia traz a mais genuína alma do circo popular brasileiro em suas intervenções pela simplicidade com que, em seus quase 40 anos de existência, vem perpetuando números tradicionais de circo tais como: mágicas, mamulengo, entradas de palhaços, malabarismo, perna-de-pau, monociclo, ventriloquia e canções populares. Tendo influenciado muitos artistas do Distrito Federal e Goiás, bem como tem sido foco de interesse de pesquisadores da cultura popular brasileira. Atualmente a mais representativa mostra de arte circense de Brasília leva o nome do mestre, a Mostra Zezito de Circo. 

Serviço:

O que: Circulação em Samambaia do espetáculo circense da Família Zezito do Projeto Herdeiras do Mestre

Quando e onde:

Quinta-feira (28/9) - às 8h30, na Associação Maria de Nazaré (QR 404 - Samambaia Sul); às 11h e às 13h30 na Escola Classe (EC) 512 (Samambaia Sul); às 16h no Centro de Referência de Defesa da Vida Santos Inocentes (QN 433 Conjunto B Lotes 1/3 - Samambaia Norte)

Terça-feira (03/10), - às 11h e às 13h30, na EC 325 (Samambaia Sul) 

Tudo gratuito

Este projeto é patrocinado pelo FAC-DF
Informações: (61) 98225-6371

25 anos da Lei nº 9.656/98 - Foto / Divulgação

Neste ano, em junho, a Lei nº 9.656/98 completou 25 anos de vigência. Durante esse tempo, muitas foram as mudanças e avanços realizados pela normativa ao setor de saúde suplementar, dentre os quais destaca-se o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). O mencionado rol, no contexto da referida lei, que surgiu com o intuito de regular os planos e seguros privados de assistência à saúde, emergiu como uma baliza mínima de coberturas médicas que deveriam ser concedidas pelas operadoras de planos de saúde aos beneficiários, o que, até então, não havia. Foi a partir dele que o setor de saúde suplementar passou a ser fortemente regulado e que, nesse contexto, as operadoras de planos de saúde passaram a se adequar e remodelar os contratos ofertados no âmbito da saúde suplementar.

A somar, a insuficiência do Sistema Único de Saúde (SUS) acarretou a busca por planos de saúde, de modo que, desde a década de 80, o sistema de saúde suplementar já cobria 22% da população total do país (Duarte, 2001, p. 367). Atualmente, segundo a ANS, o número de usuários registrados em planos de saúde é de aproximadamente 50,7 milhões de beneficiários, o que indica que foi mantido o percentual de cobertura da população que já despontava nos anos 80. Todavia, com o passar do tempo, o rol, que era baliza mínima de garantia aos beneficiários, passou a ser entendido como um critério de exclusão de cobertura pelos mesmos consumidores, vez que, aquilo que dele não constava, não seria concedido contratualmente.

Foi neste cenário que, em âmbito judicial, há cerca de 1 ano, o Superior Tribunal de Justiça definiu que o rol, elaborado pela ANS, seria, em regra, taxativo, ou seja, as operadoras de planos de saúde não estariam obrigadas a cobrirem tratamentos não previstos na lista. O contexto social, de forte apelo pelos consumidores, trouxe movimentações legislativas que culminaram na Lei nº 14.454/22, que alterou a Lei nº 9.656/98, ampliando a cobertura dos planos de saúde no Brasil. De acordo com o texto, é possível superar o rol da ANS, desde que, para tanto, haja comprovação da eficácia científica do tratamento recomendado ao beneficiário e plano terapêutico, ou, então, desde que haja a recomendação do procedimento médico pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), ou por outros órgãos avaliadores de tecnologias da saúde, desde que de renome internacional e com aprovação para os seus nacionais.

Entretanto, sem prejuízo disto, o fato é que não é possível afirmar que o rol da ANS simplesmente deixou de existir ou que seria de cunho meramente exemplificativo. Na realidade, a Lei nº 14.454/22 inseriu-se no bojo da Lei dos Planos de Saúde que tem, dentre as suas principais disposições, o mencionado rol. Mais que isso, é importante observar que um dos parágrafos estabelecidos pela Lei nº 14.454/22 traz o rol da ANS como referência básica de concessão de coberturas médicas. Quer dizer, segue sendo ele a principal baliza de coberturas de plano de saúde, sem prejuízo de sua superação, mas desde que exista o preenchimento dos requisitos legais.

Quanto às perspectivas de futuro, está em tramitação o Projeto de Lei nº 7.419/06, que visa aperfeiçoar a Lei nº 9.656/98, sendo composto por 260 propostas de alterações da legislação. Dentre as propostas de alteração está a concessão de cobertura farmacêutica, para alcançar terapias medicamentosas aos beneficiários. Entretanto, essa cobertura já é albergada para internações e tratamentos em ambulatório conforme o Rol da ANS, além de, em ambiente domiciliar, ser alcançada aos casos de câncer. Afora isto, novamente inserindo-se no bojo da própria Lei dos planos de saúde, o Projeto de Lei em questão mantém, não apenas o plano de saúde referência, como também as exclusões legais contidas no art. 10 e seus parágrafos, dentre as quais se situa a exclusão para medicamentos domiciliares não oncológicos.

Por todo este cenário, e afora as mobilizações sociais, o certo é que, mesmo as alterações legislativas que se propõem a aumentar o escopo de coberturas médicas, acabam por, necessariamente, vincular-se às disposições do rol da ANS, mantendo-o como referência. Nesse cenário, visando a manutenção do setor da saúde suplementar, o rumo a ser tomado deve ser o de harmonização entre interesses das operadoras de planos de saúde e beneficiários, até mesmo porque hipótese contrária acarretaria por desconsiderar a sustentabilidade empresarial da saúde suplementar, que alcança, como acima dito, o acesso à saúde de um quarto da população brasileira.

Carolina de Azevedo Altafini: Sócia do escritório Andrade Maia e especialista em Direito Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Amanda Donadello Martins: Advogada no escritório Andrade Maia, mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS) e especialista em Direito do Consumidor pela Universidade de Coimbra.

Lucas Funghetto Lazzaretti: Advogado no escritório Andrade Maia, pós-graduado em Direito Médico e da Saúde pela Faculdade CERS e Vice-Presidente da Comissão Especial do Direito à Saúde da OAB/RS.

CLIQUE AQUI E VEJA MINHA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.